top of page

Você ainda não tem site para sua campanha eleitoral?


Com a situação atual do país e as mudanças ocasionadas pelo processo conhecido como transformação digital, o site se tornou a palavra-chave para que candidatos consigam estruturar suas campanhas políticas.


Já nas últimas eleições, as redes sociais e sites se mostraram extremamente fortes, sendo um dos principais elementos para garantir a vitória de muitos candidatos.


As pessoas têm passado cada vez mais tempo na internet, principalmente com elementos de destaque que podem ajudar, como a ascensão dos smartphones e as vantagens da internet móvel para falar com uma empresa de automação residencial.


Entretanto, a internet é também um campo novo, onde há muito espaço para novas experiências. Isso fez com que empresas de marketing e publicidade fizessem ações de engajamento que fogem das regras tradicionais do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Por conta disso, o TSE estipulou uma série de regras importantes para a utilização de ferramentas digitais ao longo da corrida eleitoral, que devem ser integradas ao site de qualquer candidato que paute sua campanha em honestidade.


Um dos principais pontos que as novas leis lidam é com a questão das Fake News. Isso foi um grande problema em eleições anteriores, chegando a modificar resultados das eleições de tanta influência que esse tipo de publicação gera.


A Fake News nada mais é do que uma notícia falsa, inventada para difamar ou responsabilizar uma pessoa por algo que ela não fez.


A tradução do inglês para "notícia falsa” é muito assertiva, uma vez que trata-se de uma notícia fabricada para prejudicar algo ou alguém.


Normalmente, não há nenhum tipo de fonte que garanta a veracidade desse tipo de ação, e sua forma de propagação é majoritariamente por redes sociais ou serviços de mensagem instantânea, sem links válidos ou conteúdo de qualidade.


Esse tipo de ação tem como principal objetivo atingir pessoas menos informadas para conseguir converter votos, e é uma ação que não só é muito antiética, se tornou também crime eleitoral, com multas e até mesmo reclusão.


Para conseguir trabalhar com mais qualidade e tranquilidade, é preciso compreender o que você pode de fato utilizar em seu site na campanha eleitoral para conseguir resultados expressivos e utilizar a internet de forma responsável, como ao utilizar um controle de acesso para condomínios.


Trabalhos na pré-campanha


Durante a pré-campanha, que é uma fase de interesse na disputa pelo pleito, nenhum cidadão é considerado candidato até completar todas as convenções partidárias e encaminhar para a Justiça Eleitoral todos os pedidos de registro de candidatura.


Até o início oficial da campanha, nenhum pré-candidato pode apresentar seu conteúdo na televisão ou rádio, mas já pode começar a pedir votos de maneira direta, e isso inclui a utilização da internet.


Assim, a maioria dos pré-candidatos usa seu site como uma plataforma para apresentar quem são e fazer comentários e críticas sobre o cargo que estão pretendendo conquistar, com ideias para melhorias da cidade.


É importante ter em mente que as mensagens não podem ter nenhum tipo de calúnia, injúria ou difamação, uma vez que isso pode ser não só prejudicial como passível de ação legal. Aqui, também é um bom momento para ressaltar suas qualidades.


Não é permitido, entretanto, fazer um pedido expresso por votos nesse período, por isso é importante se proteger.


Também é possível utilizar seu site como uma plataforma de transmissões ao vivo, onde você pode apresentar de maneira mais direta suas ideias e material de campanha, como camisetas bordadas.


Até mesmo vaquinhas virtuais para arrecadar fundos para a campanha podem ser instaladas em seu site. Não há problema em usar seu site como um portfólio.


Entretanto, é terminantemente proibido usar seu número de votos, uma vez que isso caracteriza uma campanha eleitoral antecipada, que pode até mesmo fazer o candidato perder sua possibilidade de candidatura.


Período eleitoral

Durante o período eleitoral, os candidatos recebem permissão para pedir votos e podem aumentar seus investimentos em recursos tanto digitais quanto físicos. Isso inclui propagandas e impulsionamento de publicações.


O mercado já mostrou que há um aumento considerável nesse tipo de ferramenta, para garantir que você tenha mais estrutura para trabalhar pela internet, uma vez que esse tipo de ferramenta tem ganhado cada vez mais espaço com um totem luminoso.


A novidade é que agora todos os canais digitais que você utilizar devem ser informados à Justiça Eleitoral, e hospedados em um provedor de internet localizado no Brasil. Isso impede muito a propagação de notícias falsas.


A maioria dos sites que utilizam Fake News para se proteger de problemas com a lei, costuma usar servidores estrangeiros, para que se torne mais difícil a identificação.


Entretanto, para conseguir criar seu site de candidatura, agora é preciso seguir estas regras.

A publicidade é proibida para compartilhamento em sites de pessoas jurídicas ou sites oficiais e hospedados por órgãos públicos, assim como a venda de cadastros de e-mail e outros dados. Esse tipo de prática é ilegal e esta previsto na LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais).


Trabalhando com mensagens


O uso de mensageiros instantâneos tem sido uma situação muito frequente no mercado atual, e as campanhas eleitorais acabam aderindo essa proposta também, sendo utilizadas em uma fabrica de etiquetas adesivas.


Entretanto, para combater irregularidades e criar um ambiente mais seguro, o TSE proibiu o uso de robôs.


Os robôs nada mais são do que ferramentas de inteligência artificial programadas para disparar mensagens em massa para pessoas que fazem cadastro em seu site buscando mais informações.


Embora estes robôs sejam muito úteis na maioria dos casos, algumas pessoas o utilizaram de maneira errada e isso acaba atrapalhando a honestidade e a segurança do processo eleitoral, forçando os órgãos regulamentadores a tomar providências para reduzir esse tipo de problema.


Outro tipo de ação que se tornou proibido, em grande parte por conta do excesso de reclamações e pela importunação que era causada, é o ato de trabalhar sua campanha através de ações de telemarketing.


Vale lembrar que, os dados de seus eleitores estão protegidos pela Lei Geral de Proteção de Dados.


Isso significa que se em qualquer momento ela se sentir desconfortável com suas propagandas, pode pedir para ser removida de sua lista de contatos que foi impressa com tinta para impressora inkjet.


Essa ação deve ser realizada em até 48 horas, correndo o risco de tomar multas e até mesmo ser impedido de concorrer se não resolver estas situações de maneira rápida e efetiva.


Impulsionamento de publicações


Uma boa forma de se destacar na internet é com o impulsionamento de publicações. Trata-se de uma publicidade paga, que ajuda a alavancar seu site ou rede social e alcançar um público muito maior do que normalmente as publicações alcançariam.


Para garantir mais transparência na campanha eleitoral, o TSE proibiu os impulsionamentos, salvo no caso das redes sociais, cujo objetivo é conquistar um alcance maior e ter mais visibilidade com sua campanha.


Entretanto, é importante entender que esse tipo de ação obrigatoriamente deve partir do perfil oficial do candidato. Qualquer tipo de impulsionamento de terceiros não será aceito ou computado.


Perfis pessoais, ainda que do próprio candidato, não podem ter nenhum tipo de impulsionamento, sob o risco de perder a candidatura.É preciso utilizar o canal oficial e prestar contas sobre o serviço posteriormente, garantindo assim mais tranquilidade.


Além disso, é importante destacar para o eleitor que se trata de uma propaganda patrocinada, para que ele reconheça imediatamente o que se trata este anúncio.


Dessa forma, você consegue trabalhar com mais clareza e identificando cada espaço de suas ações, seja para utilizar um papel de parede estilo oriental, ou realizar um anúncio.


Para garantir que se trata de uma conta oficial e não uma conta qualquer, é preciso que as publicações tragam os dados e informações do candidato, como CPF (Cadastro de Pessoa Física) e CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) de quem está patrocinando a publicação.


Transmissões ao vivo


As transmissões ao vivo tem se tornado um método bastante popular para conseguir atrair mais eleitores. Entretanto, é importante que você faça transmissões ao vivo com propostas e temas a serem debatidos de fato.

Para realizar esse tipo de atividade, você precisa de:

  • Equipamento de áudio;

  • Câmera;

  • Computador;

  • Boa conexão com a internet.


Assim como os antigos showmícios, que eram apresentações artísticas de qualquer tipo durante o período da transmissão, estão proibidos pelo TSE. Esse tipo de ação costuma fugir do foco da campanha e atrair público exclusivamente por causa do artísta.


Essa não é a ideia por trás da campanha eleitoral, e por isso não é permitido. Entretanto, o candidato pode aparecer em outras lives pela internet, incluindo em entrevistas como uma forma de divulgar seu trabalho com motoboys em São Paulo.


Considerações finais


Fazer uma campanha eleitoral requer muito tempo e atenção a uma série de detalhes importantes, e isso é fundamental para que você consiga conquistar um bom resultado.


Entretanto, toda a campanha deve ser pautada nas regras estipuladas pelo Tribunal Superior Eleitoral para que você não tenha problemas futuros e possa aproveitar essas ferramentas digitais.


Procurando uma agência para administrar sua campanha eleitoral? Converse agora com um consultor da BC Marketing gratuitamente! Pelo WhatsApp (31) 9 7170 4328


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

12 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page