Como construir meu website

Atualizado: Set 8


Já não há novidade nenhuma de que atualmente a internet tem uma importância que praticamente supera a do mundo offline. Porém, no Brasil ainda tem muito empresário que ignora a necessidade de criar um website para o seu negócio próprio.


De fato, nos últimos anos a digitalização das empresas e marcas em geral cresceu como nunca antes. Contudo, mesmo assim ainda se verifica que muita gente não se atentou para o papel dessa revolução digital.


Por exemplo, se você abrir um motor de busca e pesquisar por algo como papel de parede oriental decoração, vai encontrar centenas ou milhares de resultados. Muitos deles com geolocalização, que indica qual o local mais próximo que vende o produto.


Entretanto, se compararmos com outros países (sobretudo países de primeiro mundo), verificamos que o Brasil ainda está engatinhando. De tal modo que ainda há muito para ser feito, compreendido e conquistado.


Nem é preciso manter isso no reino da opinião, pois há pesquisas que comprovam esse fenômeno de modo inegável. Tal como um levantamento recente feito pela própria Abranet, a Associação Brasileira de Internet.


O que se verificou é que menos de 40% das empresas nacionais sabem utilizar ou utilizam a internet para alavancar os negócios. Sendo que apenas 38% chegam a ter um website próprio, seja com ou sem loja virtual e blog associados.


Agora, imagine se comparamos uma empresa que vende ribbon cera por meio de um site super antenado e dinâmico, com outra empresa do mesmo segmento que não tem nem sequer um site institucional.


Obviamente, a primeira empresa sairá na frente, não apenas no sentido de fortalecer sua própria marca e começar a se tornar uma autoridade em seu segmento. Mas também no sentido de captar mais leads, oportunidades e clientes.


Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui as principais dicas e boas práticas sobre como construir seu website. O foco é que ele se torne, justamente, uma máquina de novas oportunidades, de fortalecimento de marca e aumento de vendas.


O bacana é que hoje esse universo cresceu tanto que já é possível aplicá-lo a qualquer segmento ou modelo de negócio, seja para vender roupas e joias ou para divulgar a prestação de um serviço como revestimento em ACM.


Então, se você quer entender de uma vez por todas como isso é possível, ficando por dentro de uma das estratégias que mais podem revolucionar o seu negócio, basta seguir adiante na leitura.


O que é um website?


Hoje o mundo digital vive o que se chama Internet 4.0, que é a realidade online dos grandes motores de busca e das redes sociais, cuja dinâmica e capacidade de interação é realmente enorme, sobretudo graças aos smartphones.


Antes disso tivemos a internet limitada a websites estáticos, que funcionavam mais ou menos como um cartão de visitas, trazendo as informações básicas sobre a empresa.


Depois vieram as salas de bate-papo, e enfim os blogs, que já permitiam uma interatividade um pouco maior, inclusive com campo de comentários e até compartilhamento.


Ou seja, há muitos modos de uma empresa que vende algo como placas fotoluminescentes marcar presença online. Contudo, é um erro considerar que somente as mídias sociais possam trazer resultados, pois sites e blogs ainda são fundamentais.


Na verdade, eles continuam sendo a base para que uma marca possa, depois de consolidar sua própria plataforma, tentar dominar outras como os buscadores e as mídias sociais.


Portanto, um website nada mais é do que um conjunto de páginas digitais que uma marca cria como modo de firmar o seu DNA no espaço online.


Ele é a entrada para o marketing digital do qual tanto se fala hoje, além de permitir que a empresa ganhe algo como uma “cara” e uma linguagem própria diante do seu público-alvo.


Os primeiros passos


Falando em identidade, o domínio é o primeiro passo para criar um website, justamente porque ele será o nome ou endereço que sua plataforma terá para sempre.


Trata-se de algo como um documento digital, que vai determinar se o seu site terá a terminação “.com.br”, “.org.br”, “.net.br” e daí em diante.


Há maneiras gratuitas de conseguir um domínio, quando atrelada ao nome da plataforma que o permite. Mas há também modos de comprar um desde o começo, com a vantagem de ter um nome próprio sem nenhuma extensão de outra firma.


Para o caso de pagar, uma empresa de gravação em aço já pode negociar também um serviço de hospedagem, que é o segundo passo fundamental para digitalizar sua marca.


A hospedagem é como a compra de um HD digital, que é o que vai manter seu site no ar. Assim, todos poderão acessá-lo de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora do dia.


Ainda sobre o domínio, hoje em dia existem algumas dicas de ouro na hora de escolher. Como o fato de que ele precisa ser curto e conter o nome da sua marca de algum modo. Além de que precisa ser de fácil memorização.


Tanto que hoje existem marcas que ao serem fundadas, ainda na etapa de definição do logotipo e do slogan, já pensam também no efeito que tudo isso terá no próprio website do negócio. Já a hospedagem depende muito do seu orçamento e estratégia.


Considere uma compartilhada, se quiser economizar e agilizar, pois ela divide espaço com outros sites e democratiza o acesso. Se quiser algo particular e puder investir mais, considere a hospedagem dedicada, que é exclusiva.


Afinal, o que é um CMS?


Sigla para Content Management System (Sistema de Gerenciamento de Conteúdo), essas plataformas de construção de site simplesmente dominaram o mundo digital.


Um dos pontos principais delas é que se trata de uma maneira facilitada de criar sites, bem como de atualizá-los constantemente, tudo de modo intuitivo.


Ou seja, você não precisa dominar linguagens técnicas ou conceitos super elaborados. Na verdade, na maioria das vezes você cria o site com um sistema de tipo “arrasta e solta”, como se fosse um quebra-cabeça.


Assim, um negócio industrial que vende fix pin (pinos plásticos de segurança para produtos de exposição), pode escolher os templates, as cores principais, o menu e todos os demais elementos de maneira acessível.


Além disso, você pode encontrar um CMS gratuito, que permite uma série de funções sem a necessidade de pagar por isso.


Mais recentemente até a criação de uma loja virtual (que envolve elementos mais complexos como formas de pagamento online), pode ser criada no mesmo sistema de “arrasta e solta”.


SEO: saindo na frente


Quando falamos sobre escolher seu domínio (o nome do seu site que aparece na barra de endereços), isso já estava determinando um fator fundamental, que é o de SEO.


Sigla para Search Engine Optimization, o que a Otimização de Páginas para Motores de Busca faz é alinhar seu website com os parâmetros de buscadores como o Google.


Assim, quando o seu cliente em potencial for pesquisar algo como etiqueta patrimonio, suas páginas simplesmente aparecerão na frente das demais. O que amplia e muito seu poder de gerar tráfego, leads e novas oportunidades.


Portanto, para sair na frente dos demais, as palavras-chave que você for trabalhar precisam aparecer em vários pontos, tais como:


  • Na URL da página;

  • Nos títulos H1, H2 e H3;

  • No primeiro parágrafo;

  • No decorrer do texto;

  • No título das fotos utilizadas;

  • Na meta-description.


Enfim, ao levar em conta essas e outras exigências de SEO, você simplesmente formata seu site de um modo que cumpre com a excelência da esfera digital.


Tanto que outros algoritmos incluem compatibilidade mobile (com smartphones e tablets), qualidade de imagens, originalidade e relevância dos conteúdos criados, e daí em diante.


Tenha muita clareza


Outro ponto que poucas marcas levam em conta ou conseguem dominar, é o fato de que é preciso ter muita clareza sobre o que se espera com o website.


Como vimos, em sentido estrito ele é apenas uma página institucional, que traz informações básicas sobre determinada empresa que começou a se digitalizar.


Contudo, também vimos que isso já não basta, pois você vai precisar de um blog com criação de conteúdo, de maneiras criativas de expor seu portfólio, sem falar na possibilidade de criar uma loja virtual e uma verdadeira comunidade para os seus fãs.


Por isso mesmo, é preciso ter clareza desde o primeiro momento: afinal, quais são os seus interesses e expectativas para o website da firma?


Se uma gráfica que vende tinta para impressora inkjet quer fortalecer a marca, vai precisar fazer tudo isso que dissemos, tornando-se uma verdadeira plataforma.


Agora, se o que se deseja é aumentar as vendas depressa, o mais indicado é investir em anúncios e patrocínios. Se a ideia é fazer ambos, não desconsidere parcerias com outros websites que são referência em seu segmento.


Conclusão


Hoje em dia ter um website já não é exatamente um diferencial, mas sim uma obrigação que a empresa pode (e deve) realizar com muito foco e dedicação.


Desde a escolha do domínio e do serviço de hospedagem, passando por programas como CMS e técnicas de SEO, vai ser preciso entender cada vez melhor qual é o objetivo da marca.


Com as dicas que demos aqui, será ainda mais fácil compreender esses pontos e fazer dessa missão uma maneira incrível de mudar a história da sua empresa.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

2 visualizações0 comentário