Como a criatividade pode ajudar em um e-commerce

Atualizado: Mar 22


Nenhum empresário ou marca atual pode ignorar a importância do e-commerce para uma empresa que queira estar onde seus clientes estão. Mas para se destacar é preciso muito esforço e muita criatividade.


De fato, vivemos uma das épocas de maior competitividade do mercado. A maioria dos segmentos e nichos está saturada, pois quase que diariamente novas empresas aparecem, oferecendo as mesmas soluções de sempre.

Então, como se diferenciar no meio da multidão de produtos e serviços tão parecidos? No fundo, a resposta não é tão complexa: imagine uma empresa de segurança eletrônica, por exemplo. O que ela vai precisar é de diferenciais consideráveis.


O difícil é colocar a resposta em prática, e é justamente aí é que entra a questão da criatividade. No fundo, o maior diferencial está nisso, pois ser criativo é sair da curva, fazer algo diferente do que a maioria está fazendo.

Mas calma, você não precisa reinventar a roda ou criar algo tão disruptivo. Basta escolher um ou outro ponto e buscar a excelência neles. Até porque, tentar ser perfeito em tudo é, certamente, um bom caminho para não conseguir nada.

Então, depois de ser realista, uma dica de ouro é buscar a criatividade para inovar no seu e-commerce. Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo alguns conceitos que podem ajudar nisso, bem como dicas práticas para começar a executar hoje mesmo.

A razão para usar a criatividade no meio digital é evidente: só no último período, o e-commerce cresceu mais de 50% no Brasil, o que representou uma movimentação de mais de R$100 bilhões, e mais de 20 milhões de novos compradores.


A pesquisa é da Ebit|Nielsen, referência em pesquisas digitais. O mais bacana é que esse crescimento e as dicas que daremos aqui não se limitam a nenhum nicho, mas podem ajudar quem vende joias tanto quanto quem vende rótulos adesivos.

Ou seja, independentemente do tipo de produto ou serviço que você oferece, está na hora de renovar sua estratégia digital e se destacar no mercado. Então, se o que você busca é fazer isso e mudar sua marca de patamar, basta seguir adiante na leitura.


Por onde exatamente começar?


Pode parecer muito vago falar sobre criatividade. E realmente essa palavra pode ter várias interpretações, ou mesmo apontar para várias direções possíveis.

Segundo os dicionários, criatividade é o mesmo que inventividade, talento ou inteligência para criar algo novo, trazendo coisas novas com base em ideias ou elementos que já existiam.


Como havíamos dito: não é preciso reinventar a roda. Isso é muito importante, pois muita gente deixa de inovar por achar que somente as “grandes ideias” merecem atenção. Mas isso não é verdade.


Para melhorar um produto comum como um shampoo, talvez não precise nem mesmo mexer na fórmula dele. Se você trouxer embalagens plasticas novas, que não quebram ao cair no chão, já será um grande diferencial, sem dúvida.


Outro ponto importante da definição dicionarizada de criatividade é a parte de que ela “inventa” coisas com base em fatores que já existiam previamente.

Isso tem muito a ver com o que estamos dizendo aqui, pois no próprio caso do e-commerce a inovação virá em cima de dois pilares já existentes: o da identidade visual e da identidade verbal, que já existiam desde antes da internet, na verdade.


Adiante entenderemos do que exatamente eles se tratam, e como eles podem ser um norte seguro e confiável para trazer inovações consideráveis, fazendo a criatividade valer a pena e fortalecer um e-commerce em termos de vendas e de marca.


Entendendo a identidade verbal


Muita gente pensa que para ter um site ou e-commerce de qualidade, basta pensar nas imagens diferenciadas, nas fotos de alta qualidade, no layout arrasador, e pronto.

Um exemplo prático que podemos dar é o de conhecer uma pessoa nova. Certamente a beleza vai servir para um conseguir a atenção do outro, mas depois de alguns minutos de conversa, o que vai importar é a sinergia e as qualidades pessoais, concorda?


Traduzindo: o que importa é o conteúdo da pessoa. E com a esfera digital é a mesma coisa, pois se a marca não tem uma filosofia para oferecer, um diferencial em termos de conteúdos originais e relevantes, ela nunca vai se destacar.


Por isso a criatividade começa pela identidade verbal, não pela visual. É aqui que temos os famosos pilares da Missão, da Visão e dos Valores.

Assim, uma empresa de pintura de fachadas pode conseguir se tornar muito mais forte e muito mais atraente, apenas por ter uma cultura organizacional alinhada com as expectativas das novas gerações.


De fato, o que os clientes digitais buscam atualmente não são relações frias, como as velhas relações de compra e venda.


Eles buscam algo memorável, ou seja, uma experiência marcante. Adiante entenderemos como essa geração de conteúdo se dá na prática. Antes, vamos falar sobre outro tipo de identidade, a visual.


A importância da identidade visual


Seria um erro supor que, do que foi dito acima, podemos deduzir que a identidade visual não importa. Na verdade, as duas são igualmente importantes, e agora que a verbal já foi compreendida, vamos falar da visual.


Ela consiste basicamente em todos os elementos que uma marca carrega consigo em termos de formas, cores e tipografias.

A começar pelo próprio logotipo, que pode ter formas arredondadas ou retilíneas, cores quentes ou frias, e uma tipografia que siga na mesma linha, trazendo letras que dizem tudo sobre aquela marca.


No caso do e-commerce isso vai além. Uma plataforma de impressão digital pode ter uma série de funcionalidades integradas, e todas elas vão precisar ter um layout e uma usabilidade que façam sentido com a identidade da marca.

Hoje esse campo está tão avançado que há aplicativos que calculam a cromatização de uma landing page (uma página de vendas), para verificar se os botões de chamada para compra têm uma boa harmonização com os demais elementos visuais.


Como criar conteúdos relevantes?


Ao falar em conteúdos, voltamos à questão da identidade verbal. Tudo que vai ser escrito no seu e-commerce precisa levar em conta esse fator.

Aí é que está o seu diferencial, de conseguir definir bem sua filosofia, definir melhor o seu público-alvo e saber com quem está falando. A criatividade está em criar campanhas, ações e mesmo frases que impactem esse público.

Hoje esse tipo de material ou elemento pode assumir os seguintes formatos:

  • Blog posts;

  • Posts de rede sociais;

  • Vlogs e vídeos;

  • CTA (Call to Action);

  • Podcasts;

  • Landing pages;

  • E-books.

A criatividade está em perceber que os conteúdos e demais elementos já não se limitam apenas a textos, embora os blogs continuem sendo uma fonte inesgotável de autoridade e de geração de leads e novas oportunidades.


Então, se um material sobre toldo articulado estiver disponível também em vídeos explicativos, ou mesmo em áudios, as pessoas vão poder consumi-lo mais facilmente, e vão se engajar muito mais.


Outro exemplo do poder das palavras são os gatilhos mentais, que podem ser usados nas landing pages e nos CTAs, por exemplo. Os mais conhecidos são os de escassez, de urgência e de autoridade.

Se você for criativo ao convencer seu cliente de que ele está diante de uma oportunidade única, e que precisa comprar de você o mais rápido possível, seus resultados vão melhorar e não vai ser pouco.

Por dentro da inovação visual


Uma comunicação visual diferenciada passa por tudo o que dissemos acima: imagens atraentes, fotos de alta definição, layout e usabilidade arrasadores, além de estudo de cromatização e outras questões técnicas.


O importante é perceber que tudo isso precisa estar harmonizado com a filosofia da marca e os demais elementos. Um exemplo é a famosa família tipográfica: não faz sentido usar letras arredondadas no logotipo, e retilíneas no slogan.


Outra harmonização que você precisa fazer é entre estilo fotográfico e iconografia. Ou seja, os botões do menu do seu site de tendas para eventos precisam seguir o mesmo estilo visual dos filtros que você aplica nas fotos das tendas.


Tudo isso é tão importante que hoje já se fala em UX, sigla para User Experience, que é um conceito focado em mensurar constantemente a interação do usuário com alguma solução, como no caso das plataformas online e dos e-commerces.


Outra dica de ouro: fique de olho na questão da mobilidade. Se o seu site for responsivo e oferecer uma boa experiência em termos de navegação pelo celular ou tablet, tenha certeza de que você já sairá na frente.


Considerações finais


O objetivo deste artigo é ajudá-lo a entender a importância da criatividade em negócios online, ajudando você a desenvolver uma comunicação verbal e visual diferenciada, de modo a conseguir engajar mais pessoas e aumentar seus resultados.


O mais bacana do que foi dito está não apenas na harmonização entre cores e formas, mas entre filosofia da marca e identidade visual. De fato, ter conteúdos relevantes é um dos modos mais autênticos de ser criativo.


Uma simples virada de chave em um atendimento diferenciado já pode fazer isso. Imagine um site sobre reforma comercial, implementando os chatbots, que são robozinhos que respondem automaticamente. Seria incrível, sem dúvida.


Tudo isso deixa claro, enfim, como a criatividade pode ajudar um e-commerce a vender mais, assim como pode fortalecer a marca no curto, no médio e até no longo prazo.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo